Vou votar Bolsonaro. Porque ele representa a única possibilidade de rompermos com esse círculo de roubo, corrupção e impunidade que assola o Brasil Vai acabar com tudo isso com um decreto, ato voluntarista? Claro que não. Mas vai mudar costumes, denunciar abordagens, repelir estratagemas. Não vai impedir que juiz, promotores e policiais persigam, prendam, processem e condenem bandidos. Vai ouvir pessoas que pensam da mesma forma. E elas existem na esquerda, na direita, entre as mulheres, homens, negros, brancos homossexuais, heteros. Quero um presidente que nos garanta liberdade, que nos tutele menos, que não pense saber o que é melhor minha vida e decida sem me consultar. Quero poder escolher entre andar tão armado quanto um suíço ou desarmado como um salesiano. Minhas escolhas. Pelos meus direitos.

Trágico
Um menino, adolescente, cursando a oitava série, tirou a vida na madrugada de terça(02)e a família viveu essa coisa avassaladora de sepultá-lo. Como? Por que? Ele frequentava renomado colégio de nossa cidade.
Fiz algumas perguntas e disseram-me de uma variante do tal jogo da Baleia, chamado desafio da Boneca Momo, e que outros atos extremos estão programados. Minhas pesquisas mostram que isso é uma imensa bobagem. Olhem seus filhos, vejam o que fazem em computadores e celulares.
Todo ano, desde que o mundo é mundo, adolescentes se matam. É depressão. Depressão ataca adolescentes. Nos atacou. Maioria superou, mas sempre tem os que tombam pelo caminho. Aí a dor e a culpa não nos deixaram jamais
Eles não suportam um amor recusado, uma rejeição real ou imaginária, uma inferioridade real ou imaginária. Acreditem, como jornalista já cobri centenas de casos. Não acreditem é no sorriso e na resposta sobre estar tudo bem. É uma defesa para fugir do assunto. O segredo é vigiar, desconfiar, ser insistente, inconveniente, intrusivo. Porque isso é dever e prerrogativa de pai e mãe. Pai e mãe enterrar seu filho ou filha é que não é normal.

E a voz calou
Charles Aznavour morreu. Não pode. Pelo rádio, numa desgastada fita, num velho long play ele manteve meus sonhos, minhas esperanças, quando só o que restava era descrer. Minha fé, minha integridade. Me fez acreditar no amor e valeu a pena. Consola saber que enterraram seu corpo mas sua voz soará pela eternidade. Da mesma forma que Ângela Maria, a mulher que viveu e cantou as dores do amor. O casal deve estar fazendo algum dueto para Deus.
Sobre o Charles. Luiz Henrique queria tê-lo em Joinville. Osman Linconl conseguiu, duras penas uma data na agenda. Quando foi reservar o Centreventos, não pode em razão de uma cerimônia de formatura já agenda.

Rematrículas
O período de rematrícula dos alunos que frequentam a Rede Estadual de Ensino para o próximo ano letivo é de 16 a 19 de outubro. O processo pode ser feito pela internet para todas as turmas da educação básica e também para os Centros de Educação Profissional (Cedup). Pais e responsáveis devem efetivar ao cadastro online realizado por formulário: rematricula.sed.sc.gov.br. Este endereço pode ser acessado de qualquer computador, tablet ou smartphone. O link também poderá ser acessado pelo Estudante On-line e pelo site da Secretaria de Estado da Educação (SED).

Dilema de Tóffoli
Dias Tóffoli, se desejar respeito, tem que desmanchar uma maracutaia que funciona a todo vapor dentro do STF, Tem alguns advogados, poucos e poderosos, que estranhamente sempre conseguem que seus recursos sejam sorteados para Marco Aurélio, Gilmar ou Lewandowski. O problema é que, se cavar bem fundo, terá de mandar prender esses ministros.

Primeiro turno
“A possibilidade de Jair Bolsonaro liquidar a fatura da eleição no primeiro turno entrou no radar de seus principais adversários”, diz a Folha de S. Paulo.
“As pesquisas diárias internas do PT mostravam, como o Datafolha, o capitão reformado ganhando pontos nos últimos dias.”

Udesc
A Acij convida para a apresentação da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). A palestra será conduzida pelo reitor da Udesc, Prof. Marcus Tomasi, no dia 8 de outubro de 2018, às 18h30, na ACIJ. A Udesc tem 15 mil alunos, em 12 polos espalhados pelo Estado.

Mijona
A atriz global Bruna Linsmayer é catarinense de Corupá. Filha de respeitada liderança do MDB local.
O jornal Extra, do Rio, a flagrou com a namorada fazendo xixi na calçada. Esse ato deseducado e pouco cidadão, que condenável nos reles mortais, é execrável em quem deveria dar exemplo.
Ela o praticou durante os protestos do Elenão. Parece-me que o xixi e ato, além da grosseria deprimente, serviram apenas para adubar a candidatura de Bolsonaro que saltou quatro pontos.

Merísio, fatos e propósitos
1- A matéria bomba publicada por Intercept atinge Merísio. Nele ele é acusado de ocultar patrimônio em nome de laranjas e familiares. Quem projeta e planeja governar Santa Catarina deve explicações, maiores e melhores que a nota oficial publicada com aparência de convocação de assembleia geral extraordinário de empresa. Os fatos são graves.
2- Mas porque esse material apareceu só agora na reta final da campanha? Desconstruir Merísio interessa, claro, a Mauro Mariani e a Décio Lima. Fui investigar. Mauro não teria como interferir na Intercept com seu milionário dono residindo nos Havaí e montado numa fortuna de 62 bilhões de dólares que, ele afirma, usará para fazer o bem. Conceito de bem é elástico.
3- Então Décio Lima tem esse poder? Bem… Sim e não. Décio pessoalmente não tem esse poder, mas o PT tem. Quem der uma olhada nas demais matérias da versão portuguesa do Intercept verá que eles estão em franca campanha para derrubar Bolsonaro.
Site e seu multimilionário proprietário Pierre Omidyar tem ligação com o Opera Mundi, portal de esquerda. Pierre, tal como outro milionário Soros, vem financiando partidos e projetos de esquerda ao redor do mundo. Merísio declarou voto em Bolosonaro e virou alvo dessa turma .Isso está longe de inocentá-lo. Fiz a pesquisa por dever de ofício e por não gostar de perguntas sem respostas.

Anotem
É questão de tempo até que desdobramentos das denúncias de Antônio Palocci chegue a Santa Catarina e alcance figuras notórias de nosso mundo político administrativo.

Debate morno

O debate de ontem a noite do grupo NSC TV, mostrou que felizmente para o eleitor, os candidatos ao Governo do Estado não tem a agressão ao adversário como característica principal. No jargão popular, “não sabem bater”.
Houve trocas de farpas, sobretudo na questão envolvendo uma acusação feita pelo advogado Írio Grolli, que é ligado ao MDB de Chapecó, contra o candidato Gelson Merisio (PSD), de um suposto enriquecimento ilícito, o que foi prontamente rebatido pelo pessedista, que levou consigo uma certidão constando que não responde a nenhum processo, que não é investigado e não tem nenhuma condenação. Mesmo assim, ele disse que não vê problema algum se o MP quiser fazer qualquer investigação.
Ao ser questionado por Mauro Mariani (MDB) se indicou cargos para as ADRs, antigas Secretarias Regionais, Merisio respondeu que sim. Segundo ele, mesmo sendo contra o modelo, a descentralização foi mantida no governo de Raimundo Colombo (PSD) devido a um acordo com o falecido ex-governador, Luiz Henrique da Silveira.
No contra-ataque, Merisio disse que Mariani afirma não participar do atual governo, mas, que tem a sua sogra como atual secretária de Estado da Educação e, que no Governo Federal, mesmo se dizendo contrário ao presidente Michel Temer (MDB), que indicou cargos, incluindo o do atual ministro do Turismo.
Em resposta, Mariani deu a entender que não foi uma indicação sua, o nome de sua sogra, Simone Schramm, para a Educação e, que o atual ministro está no cargo por competência.
Mesmo sob o ataque dos demais candidatos, ele reafirmou que não teve ligação com o governo de Raimundo Colombo (PSD) e nem de Temer. Foi dessa forma, que os maiores ataques entre os dois primeiros colocados na última pesquisa, aconteceram. Merísio também tentou colocar, que o emedebista esconde o atual governador, Eduardo Pinho Moreira (MDB).
Fora isso, vale destacar um Décio Lima (PT) tranquilo, evitando polêmicas e um possível desgaste ao não mencionar o nome de Fernando Haddad (PT), nem nas considerações finais, o que mostra a sua tentativa de se desvincular, em parte, da disputa nacional. Ele sabe que a campanha petista a presidente, não cola em Santa Catarina.
No geral, propostas para a infraestrutura do Estado para o escoamento da produção, o reconhecimento da importância das isenções fiscais, com algumas falas sobre rever o modelo das renúncias, além do corte de cargos e mais investimentos na saúde, segurança e educação. Temas gerais, que tem sido visto em todas as eleições.
Por outro lado, chamou a atenção, o preparo e o potencial para os próximos pleitos, dos candidatos Leonel Camasão (PSOL) e Comandante Moisés (PSL). Enquanto que Jessé Pereira (Patriota) demonstrou que, a exemplo do que diz, realmente não tem nenhuma experiência, mas, que sirva como aprendizado para buscar uma maior capacitação.
Nesta semana teremos a última pesquisa do primeiro turno. Veremos de que forma o debate contribuiu para o desempenho de cada candidato no levantamento.