Rodoviária

O assunto já está mais que batido, mas tem que ser lembrado a cada dia. A rodoviária de Joinville continua sendo um problema sério. Não é possível que a maior cidade de Santa Catarina tenha uma das piores rodoviárias do Brasil. Em termos de importância da cidade, ninguém acredita que essa é a “nossa rodoviária”.

Bronca

Na verdade, é de se passar vergonha quando chega um  passageiro que desembarca ou tem que esperar por uma conexão e pede por um restaurante, banca de jornais, farmácia ou algo assim. E sobre a segurança? É uma rodoviária aberta, onde qualquer um entra e sai. Porém, tem que se ressaltar a presença constante da Polícia Militar e Guarda Municipal. Menos mal.

Remendos

E ninguém mais aguenta os remendos na rodoviária. É como cuidar de um corte profundo com esparadrapo. A solução é a construção de uma nova rodoviária às margens da BR 101, próximo da Expoville. Hora de Joinville pensar grande. Recursos? Temos três deputados federais e três estaduais eleitos. Será que pelo menos um deles não consegue correr atrás disto?

Questionamentos

O Sindicato da Indústria da Construção Civil de Joinville (SINDUSCON) participou da reunião Técnica da Comissão de Legislação, Justiça e Redação da Câmara de Vereadores de Joinville. Cerca de 15 empresários do setor da construção civil – entre eles o presidente do SINDUSCON, Vilson Buss, e representantes da diretoria – marcaram presença para reforçar sua preocupação com temas como a Outorga Onerosa e a Transferência do Direito de Construir.

Ofício

Em ofício entregue às presidências da Comissão de Legislação, Justiça e Redação e de Urbanismo, Obras, Serviços Públicos e Meio Ambiente, o SINDUSCON Joinville solicitou a atenção do Legislativo e o reforço nas discussões sobre o dispositivo contido no Projeto de Lei Complementar que estabelece a margem para aplicação do Fator de Sustentabilidade e Inovação a ser fixado em decreto pelo Executivo Municipal. De acordo com o diretor de Meio Ambiente do SINDUSCON Joinville, Francisco Maurício Jauregui Paz, em discussões prévias no Conselho da Cidade e em audiência pública já realizada, os valores estabelecidos para a cobrança da outorga onerosa não ultrapassariam o índice de 0,15, o equivalente a 15% do CUB.

Opinião

“O setor da construção civil vem acompanhando todas as discussões e foi surpreendido por uma decisão do Executivo que estabelece índices de 0,05 a 1,5, representando uma variação de 5% a 150% do CUB”, diz Maurício. No entendimento do SINDUSCON, a outorga onerosa deve ter como objetivo estabelecer diretrizes urbanísticas e não arrecadatórias para o município. O setor apoia também as propostas de emendas que alteram o índice de aplicabilidade da outorga de 50% para 100% e o aumento do embasamento para 12 metros em empreendimentos residenciais multifamiliares.

 

Mudanças

O bairro Costa e Silva deverá sofrer mudanças no seu trânsito. As possíveis alterações viárias atingem a Rua Inambu, paralela à Rua Almirante Jaceguay. A proposta da Sepud apresentada era fazer um binário na localidade, alterando o trânsito para mão única nas ruas Araquã e Inambu, no sentido centro-bairro. A Almirante Jaceguay é uma das vias destinadas à duplicação desde o Sistema Viário Básico estabelecido no Plano Diretor de 1973. Deveria ter 30 metros de largura, cruzar a cidade de leste a oeste, da BR-101 até encontrar a rua Iririú. Porém, apenas um trecho de 1,1 km da rua está efetivamente duplicado.

 

Nova sede Ajorpeme

O ano de 2018 marcará uma nova etapa na história da Ajorpeme. Desde o mês de agosto, a sede da entidade está em reforma. “O objetivo é tornar o prédio mais acessível. Além disso, vamos modernizar os ambientes, como as salas de reuniões e espaços de convívio”, explica Victor Kochella, presidente da associação.

 

História

 

Com 34 anos de história, a Ajorpeme oferece serviços e capacitações de vanguarda, que fazem a diferença para os empreendedores de Joinville e região. Com a reforma, a entidade entregará para a comunidade uma estrutura inovadora. “Vamos tornar nossos espaços ainda mais amigáveis e receptivos para quem está empreendendo e fazendo a diferença no mundo”, observa o presidente.

 

Apoio

Para os associados e empresários que quiserem contribuir com a reforma, a associação lançou uma campanha de arrecadação online. As contribuições variam de R$25 a R$100 mensais e, para os associados, poderão ser incluídas na mensalidade. As doações podem ser feitas pelo site reforma.ajorpeme.com.br. A previsão de término das obras é janeiro de 2019.

 

Sobre a Ajorpeme

Maior e mais representativa associação de micro e pequenas empresas da América Latina, a Ajorpeme está em constante busca de oportunidades de desenvolvimento para micro e pequenas empresas de Joinville e Região. A associação acredita no crescimento pela capacitação e associativismo, gerando negócios e lutando por melhores leis e incentivos junto ao poder público.