Home Office com saúde mental 

Saúde – O coronavírus está no ar
23 de julho de 2020
Volta ao Mundo – Mercado de Eventos
23 de julho de 2020

Home Office com saúde mental 

Vamos completar seis meses de pandemia e restrições de uma série de atividades, entre elas as acadêmicas e profissionais. Em seis meses, o que já aprendemos para lidar com as atividades acadêmicas e profissionais dentro de casa e visando não perder qualidade de vida e preservar a saúde mental?

ORGANIZAÇÃO: Vimos que quanto mais organizado for o ambiente de trabalho e de estudos, mais organizados ficam os pensamentos e as atividades. Muitas vezes é preciso organizar papéis e arquivos do computador para, aí sim, reduzir ou controlar determinadas ansiedades.

PLANEJAMENTO: Você já percebeu que não estamos contando tanto os dias como antes, assim como estamos nos perdendo mais facilmente nos dias da semana? Como nossos rituais diários de trabalho e estudo sofreram mudanças impactantes, nossas referências dos dias se perderam. Ainda assim, planejar atividades, trabalhos, ações, pesquisas e ideias é essencial para não surgir a sensação de estar perdendo o controle.

DIETA VIRTUAL: Quanto tempo você tem passado nas redes sociais? Sabia que o tempo excessivo em redes sociais pode diminuir sua capacidade de produzir e criar? Estabeleça uma meta de tempo de acesso às suas redes, assim como filtre os conteúdos. Cuide com a enxurrada de informações e, principalmente, com as notícias falsas que já dominam as redes. Minha dica de ouro aqui é investir no LinkedIn. Vai por mim!

AUTOEXIGÊNCIA: São tempos diferentes e, sendo assim, o que você produzia antes pode não produzir agora. Busque informar seus colegas, professores e gestores sobre dificuldades e não se sinta culpado por não se achar tão produtivo como antes. Lembre-se que o mundo desacelerou, então por que você deveria permanecer no mesmo ritmo? Está tudo bem entregar seu melhor.

EMOÇÕES: As metas, notas da faculdade, projetos e tensões sociais e econômicas podem lhe deixar com angústia e desencadear ansiedades. Se perceber isso, procure conversar com pessoas próximas e exponha suas emoções. Diga o que lhe causa ansiedade ou tristeza e quanto tem dado o melhor de si mesmo. Não guarde tudo para você e nem tente demonstrar forças quando sabe que não está forte. Busque ajuda!

São dicas práticas para o cotidiano de quem estuda e trabalha em casa. Zelar pela saúde mental é um gesto de imenso carinho consigo mesmo e com as pessoas que mais amamos.

Os comentários estão encerrados.