Acidentes de Trânsito

Pode ser fatal
6 de agosto de 2020
Volta ao Mundo – Isenção tributária nos serviços hoteleiros
6 de agosto de 2020

Quando é falado em acidentes de trânsito, logo nos vem à cabeça as avarias físicas nos veículos envolvidos. No entanto, nem sempre os danos se restringem às avarias físicas. Há casos em que podem ocorrer situações de óbitos e danos pessoais, tais como membros quebrados, cicatrizes, entre outros. Até aqui todos sabem. Mas qual seria o enfoque jurídico semanal desta coluna? Respondo: A Responsabilidade Civil.
O nosso Código Civil de maneira clara e objetiva nos traz o artigo nº 186: “Aquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência violar direito e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato ilícito”. O qual é complementado pelo artigo nº 927: “Aquele que, por ato ilícito, causar dano a outrem, fica obrigado a repará-lo”. O causador do dano, tem a obrigação de reparar civilmente todos os danos causados a outrem. Ou seja, a reparação do veículo, o braço quebrado, os danos morais em decorrência do evento, o óbito aos familiares, os lucros cessantes e por aí vai.
Ocorre que, por um mero descuido, muitas vezes esta conta pode tornar-se muito cara, ou impagável ao causador do acidente. Imagine um acidente envolvendo um carro importado de luxo, facilmente um farol custa mais de R$ 5.000,00, ou um acidente envolvendo um motociclista que tem o braço quebrado e pleiteia na justiça uma indenização de R$ 40.000,00, ou ainda um óbito de um chefe de família, imensurável seria o dano.
Ok, doutor, mas como eu devo proceder caso eu seja o causador do dano? Primeiramente, se você realmente foi o culpado no acidente, você deve ter a consciência de que alguma condenação virá. E contratar um bom advogado pode minimizar seus prejuízos financeiros.
O conselho que dou aos meus amigos é o da prevenção. Dirija com cuidado e atenção, cuide dos movimentos dos outros motoristas e pedestres, tenha uma direção defensiva. E o mais importante, faça um bom seguro contra terceiros, não custa tão caro como imaginam, e pode se tornar muito barato caso algum acidente ocorra. Busque referências de Corretores de Seguros que trabalhem de forma proativa quando da sinistralidade, e não somente quando da conquista de um novo cliente.
Um bom seguro pode, além de lhe resguardar financeiramente quando da necessidade de indenizar alguém, lhe manter a paz, e esta não tem preço que pague. Uma ótima semana a todos e fiquem com Deus.

Os comentários estão encerrados.